Barra de Pesquisa

Carregando...

quinta-feira, 5 de março de 2015

Novela 'Império': José Alfredo será assassinado por Zé Pedro no último capítulo

Com vitória e pedidos de 'fica': Léo Moura dá adeus ao Flamengo; 519 jogos

A despedida do ídolo rubro negro Léo Moura
©Léo Moura em sua despedida do Flamengo, contra o Nacional-URU, no Maracanã
Não foram dez dias. Foram quase dez anos. Leonardo da Silva Moura e Flamengo. Paixão daquelas raras de se ver. Nasceu, óbvio, num Dia dos Namorados: 12 de junho de 2005. Léo vestia pela primeira vez a camisa do time de infância, diante do Corinthians. Número 2 às costas. Era um garoto de 26 anos. Não tinha nem moicano. Diferente do homem de 36 anos que pisou em campo no Maracanã pela última vez com a camisa do Flamengo nesta quarta-feira debaixo de um bandeirão em forma de...coração. E do outro lado estava o Nacional-URU.
Nas costas, o mesmo número 2 de quase dez anos antes. Na cabeça, o moicano, já com fios grisalhos, uma marca registrada. Na arquibancada, o carinho acumulado de uma nação. 27 mil pagantes. Aplausos, gritos, choros, faixas. E placa. Minutos antes de começar a festa de despedida, Léo recebeu do maior ídolo dele e do clube, Zico, uma placa em homenagem aos 519 jogos com a camisa do Flamengo. Sétimo maior da história. 47 gols. E 51 assistências. Ou melhor, 52.
A justa homenagem ao lado de Zico
©Gilvan de Souza/Fla Imagem Léo Moura recebe de Zico uma placa em sua despedida do Flamengo
Na direita do Flamengo, pela última vez, passava o Moicano. Para lá e para cá. Dono da festa, bastava tocar na bola para arrancar gritos da arquibancada. E despedida de lateral tem de ter...passe. Talvez emocione mais servir do que ser o autor do gol. Lá pelas tantas passou de novo o camisa 2 pela direita. Pediu a bola. Todos esperavam aquele cruzamento pelo alto. Veio por baixo para o amigo Eduardo da Silva, companheiro dos tempos de infância na Vila Kennedy, no Rio.
O brasileiro naturalizado croata ajeitou e bateu de canhota, no cantinho direito do goleiro. Belo gol. Câmeras em Eduardo? Quase nenhuma. Na beira do gramado, Léo Moura vibrava com os braços elétricos para cima, faixa de capitão no braço esquerdo. A festa era dele. A alegria era toda dele. Agora, sim, estatísticas atualizadas. 519 jogos, 47 gols e 52 assistências. E oito títulos. Sete deles levantados ali o Maracanã, palco do adeus.
Mais solto, longe da pressão, Léo até treinou para sua estreia no meio de campo do Fort Lauderdale Strikers, dos Estados Unidos. Deu passes, piques, correu, brincou. E ouviu sempre o grito da arquibancada. Faltava pouco. Muito pouco. Apenas minutos. Era a última descida para um intervalo no Maracanã.
O eterno Léo Moura - o capitão da camisa 2
©Léo Moura em sua despedida do Flamengo, contra o Nacional-URU, no Maracanã No segundo tempo, o momento era de passagem de bastão, oficialmente. Flamengo recheado de garotos como Douglas Baggio, Jorge e Mattheus Sávio. Este último, aliás, fez o segundo gol, após chute na trave de Cáceres. E aí, precisamente aos nove minutos do segundo tempo, o Maracanã parou. O filme passou na cabeça de todos. Léo Moura, aos prantos, viu subir a placa. Do lado de campo observou, também, Wallace e Pará. Para o primeiro passou a faixa de capitão do Flamengo.
No segundo deu um abraço, passando a lateral direita do time depois de dez anos. Soluçando, ele aplaudiu a arquibancada, a plenos pulmões com os gritos de "Fica, capitão!" e "Léo Moura eterno!". Ele sentou no campo e observou o placar, que menos importava na noite, terminar em 2 a 0 para o Flamengo. Jogo encerrado, o agora ex-capitão deu mais uma volta olímpica no Maracanã. E deixou o coro da torcida ecoar na cabeça. Não foram dez dias. Foram dez anos. Coisa rara. Léo Moura tornou-se, mesmo, eterno.

Discurso do Major Mauricio na camara municipal em Lago da Pedra - MA,


Major Mauricio
No dia 27 de fevereiro de 2015, foram retomados os serviços da câmara municipal dos vereadores de Lago da Pedra, onde no começo foi bastante conturbados os serviços da casa.
Major Mauricio do comando da policia militar de Pedreiras esteve presente,segundo ele; em caráter  oficial, e ao fazer uso da palavra, fez um desabafo e deu em todos uma grande lição de moral:

Acompanhe o discurso do Major, no vídeo abaixo.


quarta-feira, 4 de março de 2015

Flávio Dino Garante: Professores contratados pelo Estado terão aumento salarial

Acréscimo de 15 %
A determinação de aumentar o salário dos professores contratado para trabalhar na rede pública estadual de ensino ocorreu após aprovação do Projeto de Lei na Assembleia Legislativa do Maranhão, de autoria do governador Flávio Dino. 
A medida segue com base no artigo 37, inciso IX da Constituição Federal, e na Lei nº 6.915/97.

Na mensagem, o governador Flávio Dino esclarece que o Projeto de Lei foi idealizado para aumentar o vencimento do professor contratado, que passou de R$ 950,00, pagos em 2014, para R$ 1.092,50, um acréscimo de 15%, que valoriza a classe e a Educação.

O Projeto beneficia com o aumento, a partir deste mês, professores da Educação Básica, Educação Especial l, Educação do Campo, Educação Indígena e Ensino Médio Integrado à Educação Profissional, com regime de 20 horas semanais.
 
Fonte: Maranhão da Gente

Presidentes de Colônias e Sindicatos de pescadores na mira da policia federal

Operação peixe grande
Começaram as primeiras prisões levadas a efeito pela operação “Peixe Grande” , realizada pela Polícia Civil do Maranhão.
A operação consiste na investigação em colônias e sindicatos dos pescadores que nos últimos anos elevaram da noite pro dia os números de associados em todos os municípios do Maranhão, garantindo o seguro defeso e outras vantagens. A ordem a passar a malha fina.
No Maranhão o número de pescadores aumentou em mais de 800% nos últimos tempos, inclusive em cidades onde não existem rios, mares, e muito menos açudes.
Em Viana a operação já foi desencadeada, lá existem cerca de 12 mil pescadores, sendo boa parte de aquário ou de ilusão. Foram apreendidas carteiras e uma grande quantia em dinheiro. O montante ainda não foi divulgado pela polícia.
Foi preso o vice candidato a prefeito na chapa de Magrado Barros, o ex-presidente do Sindicato dos Pescadores de Viana, Antonio D’Inês, um filho seu, que é presidente do Sindicato dos Pescadores de Penalva.
Além dos deputados Edson Araújo e Cléber Verde, presidentes de Colônias de Pescadores em todo o Maranhão estão sendo investigados, secretamente, pela “Operação Malha Fina”, que investiga uma série de aposentadorias e seguros-defesos irregulares, que somam milhões em prejuízo ao erário público. Além de presidentes de Colônias, membros das entidades e pessoas que foram favorecidas pelas praticas fraudulentas também são alvo de investigações.
 
Fonte: Luis Cardoso

O Último adeus ao grande lider politico de Lago da Pedra, Waldir Jorge de Melo

Flashes do cortejo na chegada ao cemitério

Foto: Vilmar Ferreira
Ontem no final da tarde, o povo de Lago da Pedra, os amigos e familiares, deram o Último adeus ao grande líder político, Waldir Jorge, Homem que mesmo sem nunca ter ocupado cargo de vereador, prefeito ou mesmo de deputado, mais se transformou em um grande e respeitado líder político.

Familiares, amigos, e admiradores,  foram ao cemitério Napoleão Dias de Maria, o Único da cidade, para prestarem suas homenagens àquele que muito o contribuiu para o crescimento da cidade, onde viveu.
O corpo do líder, fez o trajeto da assembleia de Deus onde foi velado, até o cemitério em um carro do corpo de bombeiros de Bacabal.
O caixão foi coberto pela bandeira do município, seu Waldir como era carinhosamente chamado, não era filho de Lago da Pedra, mais por tudo que fez e contribuiu para o crescimento desse município, era considerado tão lagopedrense quanto os que nasceram aqui.

Waldir Jorge - Um grande vencedor