Barra de Pesquisa

Carregando...

domingo, 24 de abril de 2016

Cantora Evangélica e o marido morrem em acidente de carro no interior do Maranhão

As vitimas
A cantora evangélica Joseane Araújo e seu esposo Claudio César Araújo  morreram em um grave acidente nesta sexta-feira 22, na BR-010, próximo ao complexo turístico ‘Pedra Caída’ no município de Carolina-MA.
De acordo com informações de testemunhas, o casal seguia em um veículo de passeio sentido à Estreito-MA, e 10 km depois do complexo turístico de ‘pedra caída’ aconteceu o acidente que ceifou a vida do casal.

O carro do acidente
Joseane e Claudio Cláudio  eram evangélicos, ela era cantora gospel e ele vendedor de cosméticos e também empresário na cidade de Porto Franco-MA.

Os corpos dos dois ficaram presos nas ferragens, as causas do acidente ainda não foram determinadas. Cláudio e Joseane tinham quatro filhos.

O carro deu várias capotada os corpos ficaram deformados e achamos por bem não colocar as imagens em respeito as vítimas.

Velório e enterro - A morte do jornalista e empresário Jacir Moraes

O velório
O Jornalista faleceu na sexta-feira(22) em decorrência de complicações provocadas pela diabetes e hipertensão, o enterro foi no Cemitério Pax União, Paço do Lumiar-MA

Amigos e familiares acompanharam o velório do jornalista Jacir Moares, falecido na noite de sexta-feira, 22, em São Luís, o corpo foi velado na Pax União (Centro). O cortejo fúnebre saiu às 15h e o enterro foi no Cemitério Pax União (Paço do Lumiar). O jornalista, de 70 anos, morreu em decorrência de complicações provocadas pela diabetes e hipertensão. Ele deixa cinco filhos e nove netos.

Jacir Moraes
“Era um ícone do jornalismo maranhense e ocupou diferentes cargos públicos ao longo de sua vida. Era um jornalista muito bem informado e muito atuante, em especial nos bastidores”, destacou a ex-companheira, Fátima Moraes.

Jacir Moraes fundou, em 1984, o Jornal O Debate. “Jacir Moraes foi um jornalista de muito conteúdo, irreverente, que soube embarcar seu nome no jornalismo maranhense com seriedade”, disse o jornalista Batista Matos.

Além de atuar no jornalismo impresso, ocupou diversos cargos na esfera pública como o de secretário de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão e de presidente da Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica (Abgraf – Regional Maranhão). Também trabalhou na Rádio Timbira e foi editor do Diário Oficial do Estado.

De acordo com Fátima Moraes há algum tempo ele já estava com a saúde debilitada por conta de complicações advindas da diabetes e do Alzheimer. 

“O Jacir estava com dificuldades de enxergar e já tinha sofrido AVC (Acidente Vascular Cerebral), entre outros problemas”, disse Fátima Moraes.


O enterro de Jacir Moraes: 

Ele pediu, e os familiares atenderam, a execução da Música Asa Branca na hora do sepultamento. Acompanhe na sanfona do seu Raimundinho com interpretação de Jailson Cunha.



Video e informações: Marcial Lima

sexta-feira, 22 de abril de 2016

22 de abril: 516 anos depois: - Parabéns á República Federativa do Brasil

Bandeira brasileira
História do Brasil Colônia, a história do descobrimento do Brasil, os primeiros contatos entre portugueses e índios, o escambo, a exploração do pau-brasil

Em 22 de abril de 1500 chegava ao Brasil 13 caravelas portuguesas lideradas por Pedro Álvares Cabral. A primeira vista, eles acreditavam tratar-se de um grande monte, e chamaram-no de Monte Pascoal. No dia 26 de abril, foi celebrada a primeira missa no Brasil.

Após deixarem o local em direção à Índia, Cabral, na incerteza se a terra descoberta tratava-se de um continente ou de uma grande ilha, alterou o nome para Ilha de Vera Cruz. Após exploração realizada por outras expedições portuguesas, foi descoberto tratar-se realmente de um continente, e novamente o nome foi alterado. A nova terra passou a ser chamada de Terra de Santa Cruz. Somente depois da descoberta do pau-brasil, ocorrida no ano de 1511, nosso país passou a ser chamado pelo nome que conhecemos hoje: Brasil. 

Descobrimento do Brasil
A descoberta do Brasil ocorreu no período das grandes navegações, quando Portugal e Espanha exploravam o oceano em busca de novas terras. Poucos anos antes da descoberta do Brasil, em 1492, Cristóvão Colombo, navegando pela  Espanha, chegou a América, fato que ampliou as expectativas dos exploradores. Diante do fato de ambos terem as mesmas ambições e com objetivo de evitar guerras pela posse das terras, Portugal e Espanha assinaram o Tratado de Tordesilhas, em 1494. De acordo com este acordo, Portugal ficou com as terras recém descobertas que estavam a leste da linha imaginária (370 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde), enquanto a Espanha ficou com as terras a oeste desta linha. 

Mesmo com a descoberta das terras brasileiras, Portugal continuava empenhado no comércio com as Índias, pois as especiarias que os portugueses encontravam lá eram de grande valia para sua comercialização na Europa. As especiarias comercializadas eram: cravo, pimenta, canela, noz moscada, gengibre, porcelanas orientais, seda, etc. Enquanto realizava este lucrativo comércio, Portugal realizava no Brasil o extrativismo do pau-brasil, explorando da Mata Atlântica toneladas da valiosa madeira, cuja tinta vermelha era comercializada na Europa. Neste caso foi utilizado o escambo, ou seja, os indígenas recebiam dos portugueses algumas bugigangas (apitos, espelhos e chocalhos) e davam em troca o trabalho no corte e carregamento das toras de madeira até as caravelas. 

Foi somente a partir de 1530, com a expedição organizada por Martin Afonso de Souza, que a coroa portuguesa começou a interessar-se pela colonização da nova terra. Isso ocorreu, pois havia um grande receio dos portugueses em perderem as novas terras para invasores que haviam ficado de fora do tratado de Tordesilhas, como, por exemplo, franceses, holandeses e ingleses. Navegadores e piratas destes povos, estavam praticando a retirada ilegal de madeira de nossas matas. A colonização seria uma das formas de ocupar e proteger o território. Para tanto, os portugueses começaram a fazer experiências com o plantio da cana-de-açúcar, visando um promissor comércio desta mercadoria na Europa.


Fonte: HistóriadoBrasil.net

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Cartão Vermelho - PDT abrirá processo de expulsão contra os seis deputados que votaram contra a Dilma

O PDT iniciou nesta segunda-feira (18/4) o processo de expulsão dos seis deputados federais do partido que, domingo(17), votaram a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff(PT) – contrariando determinação expressa do Diretório Nacional.

A decisão do PDT de votar contra o impeachment foi tomada em dezembro do ano passado, sendo referendada posteriormente, por unanimidade, pelo Diretório Nacional reunido em Brasília dia 22 de janeiro; e, por último, confirmada na última sexta-feira (15/4), em reunião da Executiva com integrantes da Comissão Nacional de Ética, presidentes dos movimentos de base partidário e integrantes das bancadas do PDT na Câmara e no Senado.

Reunida nesta manhã (18/4) na Sede Nacional do partido, em Brasília, os membros da Comissão Permanente discutiram o comportamento dos deputados do PDT e, ao final, confirmaram a decisão de expulsar os deputados infiéis.

Votaram contra a determinação da direção do partido e foram expulsos, de ofício, os deputados federais Mario Heringer (MG), Sérgio Vidigal (ES), Giovanni Cherini (RS), Flávia Morais (GO), Subtenente Gonzaga (MG) e Hissa Abrahão (AM).

A Comissão de Ética, como anunciado, iniciou os processos de expulsão garantindo a todos amplo direito de defesa previsto na legislação e nos estatutos; e vai submeter o seu parecer ao Diretório Nacional do PDT já convocado para decidir sobre o assunto no próximo dia 30 de maio, no Rio de Janeiro.

Os que forem dirigentes estaduais serão destituídos dos cargos, caso do Espirito Santo, presidido por Sergio Vidigal; e Goiás, presidido por Georges Morais – e também serão destituídas as comissões provisórias do PDT nos estados de Minas Gerais e Amazonas presididas, respectivamente, pelos deputados Mario Heringer e Hissa Abrahão.


A decisão de expulsar os infiéis foi tomada pela Executiva em dezembro passado, ato referendado pelo Diretório nacional dia 22 de janeiro e, por último, confirmado na sexta-feira passada (15/4) na reunião da Executiva Nacional, com a Comissão de Ética,  movimentos partidários e bancada federal do partido. Os parlamentares, todos, também foram avisados por escrito que corriam risco de expulsão caso não votassem contra o impeachment.

 Fonte: Ascom PDT 

Câmara aprova prosseguimento do processo do impeachment da presidente Dilma Rousseff

A Câmara dos Deputados aprovou neste domingo, 17, o prosseguimento (admissibilidade) do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no Congresso. A vitória da oposição, que atingiu os 342 votos necessários às 23h07, dimensiona o isolamento político da petista. Apesar de ter oferecido cargos em troca de votos, Dilma não conseguiu reunir os 172 apoios para travar o impedimento na Casa. Apenas PT, PC do B e PSOL permaneceram totalmente fiéis ao lado de Dilma na votação em plenário, que começou 17h46. A presidente, segundo relatos colhidos pela reportagem, afirmou que não renunciará ao cargo para o qual foi eleita pela segunda vez em 2014 e disse que vai lutar para manter o mandato no Senado.

A vitória da oposição foi comemorada nas ruas das principais capitais brasileiras, logo após o plenário da Câmara dos Deputados ter referendado o relatório do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que recomendou o julgamento de Dilma no Senado pelo crime de responsabilidade.

De acordo com o relator, a presidente desrespeitou a lei na abertura de créditos suplementares, por meio de decreto presidencial, sem autorização do Congresso Nacional e tomou emprestados recursos do Banco do Brasil para pagar benefícios do Plano Safra, nas chamadas pedaladas fiscais. Dilma nega ter cometido crime. A sessão deste domingo foi presidida por Eduardo Cunha (PMDB-RJ), alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por conta das investigações da Operação Lava Jato.

A partir de agora, confirme o rito do impeachment determinado pelo Supremo, o processo será analisado pelos senadores. O vice-presidente Michel Temer (PMDB) acompanhou a votação no Palácio do Jaburu, junto de aliados. Conforme o STF, Temer só assumirá o cargo se Dilma renunciar ou após o Senado considerar a denúncia admissível e decidir que ela precisa ser afastada por até 180 dias, período no qual acontecerá o julgamento final da presidente na Casa, composta por 81 senadores. A previsão é de que essa etapa do processo dure ao menos até a primeira quinzena de maio.

Neste domingo, o Placar do Impeachment no Senado do jornal O Estado de S. Paulo mostra que a situação é desfavorável ao governo: 44 favoráveis ao impeachment e 21 contra o afastamento da presidente.

Dos 18 deputados do Estado do Maranhão, 10 votaram a favor e 8 contra a admissibilidade do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Confira, abaixo, como os deputados maranhenses votaram neste domingo (17/04).

Alberto Filho (PMDB) – SIM
Aluisio Mendes (PTN) – NÃO
André Fufuca (PP) – SIM
Cleber Verde (PRB) – SIM
Eliziane Gama (PPS) – SIM
Hildo Rocha (PMDB) – SIM
João Castelo (PSDB) – SIM
João Marcelo Souza (PMDB) – NÃO
José Reinaldo (PSB) – SIM
Junior Marreca (PEN) – NÃO
Juscelino Filho (DEM) – SIM
Pedro Fernandes (PTB) – NÃO
Rubens Pereira Júnior (PCdoB) – NÃO
Sarney Filho (PV) – SIM
Victor Mendes (PSD) – SIM
Waldir Maranhão (PP) – NÃO
Weverton Rocha (PDT) – NÃO
Zé Carlos (PT) – NÃO


Fonte:O Estadão e Imirante.com

terça-feira, 12 de abril de 2016

Governador Flávio Dino inaugura restaurante popular em Lago da Pedra-MA.

Dia da inauguração do restaurante popular em Lago da Pedra
O ato aconteceu na tarde de sábado(09), por volta das 13:00hs, quando o governador do Maranhão Flávio Dino chegou de helicóptero, na cidade de Lago da Pedra, em companhia de alguns secretários de estado e assessores, para a inauguração do restaurante popular.

O restaurante servirá refeições de segunda a sexta-feira, ao preço de R$ 2.00.

Centenas de pessoas estiveram presente no evento que também  contou com as presenças de prefeitos e deputados e  varias outros secretários de estado e lideres políticos.

Hora da Inauguração
Entre os presente podemos destacar o Prefeito de Lagoa grande do Maranhão, Dr. Jorge Eduardo, da prefeita de Satubinha-MA, Dulce Maciel (Dulcinha), Dep. Est. Ana do Gás, Dep. Fábio Macêdo, vereadores de Lago da Pedra, Moisés do Lago Preto, Ariel do Crediário, Zé Orlando e Henrique Paraibano.

Também estavam presentes o Presidente do ITERMA Mauro Jorge, Secretário de articulação Rodrigo Neto, Secretário de Desenvolvimento Social, Neto Evangelista, Simplício Araujo, secretário de industria e comercio, entre outros.

Veja agora algumas fotos do momento.